Quarta-feira, 29 de maio de 2024 - Email: [email protected]




‘Vamos torcer para dar certo’, diz Haddad sobre meta fiscal zero

Ministro da Fazenda argumentou pela evolução ‘positiva’ das votações de projetos econômicos no Congresso Nacional



- Advertisement -
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad
(DIOGO ZACARIAS)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que vai “torcer para dar certo” quando questionado sobre a meta de déficit fiscal zero em 2024. A declaração foi dada nesta quarta-feira (17) em Washington, capital dos Estados Unidos, onde participa nesta semana da reunião de primavera do FMI (Fundo Monetário Internacional) e do Banco Mundial e da segunda reunião da trilha financeira do G20.

“Nós estamos vendo a evolução das votações no Congresso, né? Vocês estão acompanhando. Teve uma evolução positiva ontem as negociações. Vamos torcer para dar certo”, afirmou Haddad. Antes, o ministro da Fazenda apresentou oportunidades de investimento a empresários norte-americanos e debateu iniciativas para ampliar o financiamento à transição ecológica.

Nesta quarta-feira (17), Haddad participa de alguns eventos paralelos à reunião do G20, grupo das 20 maiores economias do planeta, mais a União Europeia e a União Africana. No primeiro compromisso, às 9h (horário local), na sede do Banco Mundial, o ministro tem presença confirmada no painel “A força tarefa da fome”, que visa a engajar líderes globais na luta contra a insegurança alimentar. Participarão ainda representantes dos Estados Unidos, da União Africana, Noruega e África do Sul.

Às 10h30, Haddad estará em uma discussão sobre tributação internacional, durante evento organizado em parceria entre Brasil e França, na sede do Fundo Monetário Internacional (FMI). O tema ganhou destaque na reunião do G20 realizada em São Paulo, em fevereiro. À tarde, o ministro, participa das reuniões da cadeira brasileira do Banco Mundial e do FMI. À noite, às 18h30, irá a um jantar oficial de trabalho do G20, na sede do FMI.

Contas públicas

governo modificou a estimativa dos resultados positivos das contas públicas para os próximos anos. Antes, a trajetória era de superávit primário em 2025 (gastos menores que arrecadação) equivalente a 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto). Agora é de déficit zero (gastos iguais à arrecadação), a mesma meta fiscal de 2024. A meta está disposta no projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2025, encaminhado ao Congresso Nacional na última segunda-feira (15).

O PLDO serve como base para o texto do Orçamento de 2025 e é enviada pelo governo ao Congresso. A proposta deve ser analisada até o dia 30 de junho pelos deputados e senadores. Pelo texto, as expectativas do resultado primário para os próximos anos serão: 2025 – 0% do PIB; 2026 – 0,25% do PIB; 2027 – 0,5% do PIB; e 2028 – 1% do PIB. Todos os valores admitem um intervalo de tolerância de 0,25% do PIB, para cima ou para baixo, como determina a nova regra fiscal, aprovada em agosto de 2023 pelo Congresso Nacional.



Últimas Notícias





Veja outras notícias aqui ▼