Sexta-feira, 12 de agosto de 2022, às 05:50 - Email: [email protected]

NÓDULO NO FÍGADO: Como diferenciar tumor benigno, maligno ou metastase

Você conhece alguém que descobriu um nódulo no fígado? O que esse nódulo pode ser e o que fazer? Neste episódio o Dr. Wellington Andraus dá mais detalhes sobre o assunto.

Nódulo no fígado é um problema muito mais frequente do que as pessoas imaginam. Só para você ter uma ideia, estima-se que 15 a 30% da população tenha algum nódulo no fígado. Esse nódulo pode ser um Câncer? Pode ser metástase de um outro tumor?

A resposta é sim. tumores do fígado e mesmo metástases de outros tumores que aparecem no fígado podem se apresentar como nódulo, mas aqui cabe um esclarecimento: na imensa maioria das vezes o nódulo não é câncer! É um nódulo benigno!

Como saber se o nódulo no fígado é benigno ou maligno?

O recomendado é procurar um médico especialista em fígado para essa investigação. Além da história clínica normalmente se faz exames de imagem como tomografia ou ressonância magnética e exames laboratoriais. Em poucos casos é necessária uma biópsia do nódulo para o diagnóstico.

O que fazer após o diagnóstico?

Eu vou começar falando dos tumores benignos. Dentre esses temos 4 mais importantes:

  1. os cistos simples que são nódulos que possuem uma cápsula e conteúdo líquido em seu interior. Esses cistos são normalmente de evolução benigna e só necessitam cirurgia em poucos casos em que se tornam muito grandes.
  2. os hemangiomas que nada mais são que um enovelado de vasos desorganizados. Se for esse o seu caso, saiba que normalmente o tratamento também é a observação, sem necessidade de cirurgia.
  3. A hiperplasia nodular focal, que é como se fosse um tecido hepático normal, porém desorganizado, como se fosse uma cicatriz no fígado, esse também só necessita observação.
  4. O adenoma que é um nódulo das células do fígado, os hepatócitos e pode estar associado ao uso de anticoncepcional. O adenoma tem um risco de sangramento e também de malignizar, principalmente quando for maior que 5 cm, por isso que o tratamento para os adenomas depende da avaliação caso a caso, mas se tiver mais do que 5 cm de tamanho o tratamento geralmente é cirúrgico.

E se o nódulo for maligno?

Nesse caso é importante saber se é um tumor do próprio fígado que é o que chamamos de hepatocarcinoma, ou se é uma metástase, ou seja, se é tumor originado em outro órgão e que se espalhou para o fígado.

Não sei se você sabe, mas existem diferentes tipos de tumores que dão metástase para o fígado como estômago, pâncreas, intestino, mama, entre outros.

Para fazer essa diferenciação podem ser necessários exames de sangue e exames de imagem como tomografia e ressonância. Em alguns casos também pode precisar de endoscopia e colonoscopia. Uma vez feito esse diagnóstico deve-se avaliar a extensão da doença (se ela está restrita ao fígado) e o tratamento pode ser desde a ressecção por videolaparoscopia ou cirurgia robótica até o transplante de fígado.

Sendo metástase o tratamento vai depender do local de origem do tumor. Assim se for um tumor de colón, por exemplo, com metástase para o fígado tem um tratamento, se for do pulmão com metástase para o fígado outro e assim por diante.

Diante dessa diversidade de diagnósticos e de possibilidades de tratamento quero reforçar a importância do diagnóstico correto e acompanhamento do nódulo no fígado.

Para saber mais detalhes sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda.


Últimas Notícias


Veja outras notícias aqui ▼

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
error: Conteúdo protegido