Sexta-feira, 12 de agosto de 2022, às 05:51 - Email: [email protected]

Análise do Ranking dos Políticos informa que 90% dos deputados federais de primeiro mandato tiveram bom desempenho

Cerca de 90%, equivalente a 71 do total de 79, dos deputados federais que nunca exerceram outros cargos em legislaturas passadas tiveram um bom desempenho na Câmara dos Deputados. Da porcentagem, 53 novatos estão entre os 100 melhores parlamentares monitorados pelo Ranking dos Políticos, plataforma que classifica os melhores e piores parlamentares de acordo com as três bandeiras estabelecidas: combate aos privilégios, desperdício e corrupção no poder público. Ou seja, monitora-se as presenças nas sessões, economia de verbas, processos judiciais, votações nas decisões mais importantes da casa legislativa, propostas de autorias e relatorias relevantes.

Vale reforçar que o Ranking dos Políticos atua de forma imparcial, sem qualquer ligação com partidos ou grupo de interesse e nem classifica por ideologias. Tanto que os 90% são de 17 partidos de todas as tendencias políticas. O intuito da plataforma é ajudar os eleitores no processo de escolha do senador e do deputado federal, informando se suas atuações, nos últimos quatros anos, foram conforme as bandeiras defendidas pela população em geral.

No ranqueamento feito, os parlamentares com notas de 0 a 4.9 são considerados ruins, de 5 a 6.5 medianos, 6.5 a 8 bons e 8 a 10 ótimos. Especificando, a maioria dos novatos possuem a pontuação acima da média em comparação aos parlamentares que tiveram mais mandatos no Congresso. No caso da economia de verbas: os novatos têm a nota de 8,46, contra o índice de 6,96 dos mais experientes na Câmara e no Senado. Já na quantidade de presença, eles pontuam em 9,83, enquanto que a média é de 9,74 pontos. No critério de votação das propostas apresentadas, os novatos pontuam em 7,79. Superior que a dos parlamentares que já tiveram mandato: 5,84 pontos. Na ocasião, a pontuação final – resultado do cálculo sobre os itens específicos – dada pelo Ranking, aos novatos, é de 6,8 pontos para 6,2 dos mais experientes.

De acordo com o diretor-geral do Ranking dos Políticos, Gláucio Dias, os dados objetivos das análises feitas pela plataforma em cima da renovação da Câmara dos Deputados, mostram que no balanço final da legislatura e a renovação foi positiva para o desenvolvimento Brasil. “Os novatos, mesmo com pouca experiência, têm muita força de vontade e criaram um bom clima, estimulando a casa a trabalhar mais e melhor”, afirma, lembrando que pautas que estavam engavetadas há muitos anos, andaram, tais como a Reforma da Previdência, Marco das Ferrovias e o Marco Legal do Saneamento. “A energia dos novatos, a boa-fé e o espírito de renovação, somado com a experiência dos excelentes deputados mais antigos, resultou em uma das melhores legislaturas dos últimos 20 anos”, avalia.

Os 5 melhores e os 5 piores

Todos os novatos representam os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Minas Gerais, Distrito Federal, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Amazonas, Goiás, Bahia, Rondônia, Acre, Alagoas, Ceará, Pernambuco, Roraima, Rio Grande do Sul e Tocantins. Os seus partidos são: Avante, Cidadania, MDB, Novo, PDL, PL, Podemos, PP, Pros, PSB, PSC, PSDB, Psol, PTB, Rede, Republicanos, União. Veja os cinco melhores e os cinco piores listados pelo Ranking:

Os 5 melhores

Nome Partido Nota

(0 a 10)

Posição no Brasil (deputados) Posição no estado (deputados)
Adriana Ventura Novo/SP 8,23 2ª de 513 2ª de 70
Lucas Redecker PSDB/RS 8,06 3º de 513 1º de 31
Marco Bertaiolli PSD/SP 8,00 4º de 513 3º de 70
Paula Belmonte Cidadania/DF 7,98 5ª de 513 1ª de 8
Gilson Marques Novo/SC 7,95 6º de 513 1º de 16

Os 5 piores

Nome Partido Nota

(0 a 10)

Posição no Brasil (deputados) Posição no estado (deputados)
Áurea Carolina PSOL/MG 3,45 414ª de 513 48ª de 53
Fernanda Melchionna PSOL/RS 3,41 415º de 513 23º de 31
David Miranda PDT/RJ 3,32 422º de 513 42º de 46
Túlio Gadêlha REDE/PE 3,01 436ª de 513 23ª de 25
Sâmia Bomfim PSOL/SP 2,91 446º de 513 61º de 71

Eleição 2022

De acordo com Agência Câmara de Notícias, nas eleições de 2018, a renovação de parlamentares foi de 47,3% (243 novos deputados), a maior desde 1986 quando ocorreu a eleição da Assembleia Constituinte. Na ocasião, é interessante destacar que desde o pleito de 1994, o percentual de renovação ficou abaixo de 40%, conforme os dados da Secretária Geral da Mesa do Poder Legislativo. A média de 1994 até 2014 foi de 37%. Três eleições tiveram o menor índice de renovação: 1994, 1998 e 2002. Até então, o pleito com maior número de novos rostos havia sido a de 1990, com 46% de renovação.

Para esta eleição, ainda não sabe ao certo se haverá uma grande renovação ou se todos os novatos irão tentar mais um mandato. Até porque as convenções partidárias ainda estão ocorrendo, com o prazo final para o dia 15 deste mês. E é provável que alguns almejarão outros cargos como a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania/DF) que almeja ser vice governadora na chapa do senador José Antônio Reguffe do União Brasil que disputará o governo do estado. De acordo com informações apuradas pelo Ranking dos Políticos, a parlamentar está enfrentando o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) em uma disputa interna que une de forma federativa os dois partidos para escolha do nome que irá compor na chapa. Enquanto que nesse meio tempo, o restante dos novatos, listados pela plataforma, confirmou a renovação do mandato.

Dos cinco piores, apenas David Miranda (PSOL/RS) e Fernanda Melchionna (Psol/RS) confirmaram nas suas redes sociais que irão disputar a reeleição do mandato. A deputada federal Áurea Carolina do Psol de Minas Gerais, em abril deste ano, comunicou que não irá concorrer à reeleição em outubro. Até o momento, não houve nenhuma atualização sobre a decisão. Os outros ainda não informaram se vão disputar a renovação.


Últimas Notícias


Veja outras notícias aqui ▼

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
error: Conteúdo protegido